terça-feira, 11 de dezembro de 2012


Sávio de Almeida escreve cordel tendo o Rei como tema

Sávio de Almeida brinca com suposto 
namoro de alagoana com Roberto Carlos 
e escreve poema e peça de teatro

Até o historiador, escritor e professor Sávio de Almeida se rendeu à polêmica em torno da pergunta que está provocando a imaginação dos alagoanos: quem será, enfim, a namorada de Roberto Carlos?
Publicado na sua página em um site de relacionamento, o professor Sávio aproveitou o tema e escreveu o poema “O filho do rei Roberto”. Nos divertidos versos, Sávio sugere, com o característico humor da literatura de cordel, que graças a sua nova paixão, o cantor compôs uma canção intitulada “Amor e sururu com tomate e pimentão”.
Em sua página, Sávio ainda revela que está criando um texto de teatro onde explora a vinda do rei e do seu iate ao mar de Alagoas. Na peça “As aventuras do rei no astral de Maceió” Roberto Carlos dança Chegança (dança folclórica do Nordeste brasileiro) e come uma peixada. Confira o poema e trecho da cena da peça de teatro.

O filho do rei Roberto

A quem namora o Roberto?
Este é um grande mistério!
Será alguém ainda viva
Ou alma no cemitério?
Será que é pagã
Ou já tirou batistério?

Sei que o rei Roberto
Compôs outra canção;
Chama-se Amor e Sururu
Com Tomate e Pimentão

E dizem que vai nascer
Um caranguejo anão.



As aventuras do Rei no astral de Maceió

Peça em um ato.

Cena I

Rubrica - (O narrador fala compassadamente e em tom de Jornal Nacional)

O rei do mar chegou
Numa bela madrugada;
Ele e seu belo iate
Mais a sua marujada;
Todos vindos para a Chegança
Do Mestre Pedro Murada!

Rubrica - (O Rei aparece na boca do palco, entrando misteriosamente; começa a dançar Chegança e Narrador continua)

O Rei gostava muito
De dançar uma Chegança;
E gostava de ficar
Onde a onda balança;
O vento no seu cabelo
E zanzando com sua pança.

E já desceu cantando
Virado na cerebrina!
Que tudo vá pro inferno!
O iate quase empina,
E seu calhambeque ficou
Apitando na buzina.


Livro reúne coletânea de contos resultado 
de oficinas de leituras organizadas pela poetisa 
e escritora alagoana Arriete Vilela



Uma menina e a descoberta da sexualidade; o funeral de Dona Filó; Mariana e seu mundo interiorano; as lembranças de um homem feito; Ágata e o piano. Universos imaginários pessoais de apaixonados pela literatura que, expressos em papel, criaram vida e reunidos, viraram livro. Para além da leitura é fruto das visões particulares de profissionais das mais diversas profissões, diferentes idades e origens, mas com um interesse em comum: a leitura e a escrita literária.
Resultado dos Grupos de Leitura e Escrita Criativa – organizados pela poetisa e escritora Arriete Vilela –, Para além da leitura é uma coletânea com textos do psicólogo Adalberto Souza, da jornalista Clarissa Veiga, da bailarina Eliana Cavalcanti, da psicanalista Gilvaneide Mota, do funcionário público Hamilton Lessa, da médica e professora Janira Lúcia A. Couto, da advogada Marialice Loureiro, da especialista em Língua Portuguesa e Literatura Brasileira, Mônica Oliveira, e da engenheira química Patrícia Gatto.
Com apresentações de Otávio Cabral e Maria Heloisa Melo de Morais, a antologia traz ao todo 17 contos que, segundo a professora Maria Heloisa, são um exemplo claro de que escrever é um exercício constante. “Só se aprende a fazer fazendo. Essa é a grande contribuição de Arriete Vilela, organizadora desta obra: proporcionar a quem namora a literatura, como leitor e/ou escritor, a oportunidade do exercício de criação”.
“Esse exercício, além de prazeroso e instigante, constrói um duplo caminho: primeiro, o de despertar no outro o prazer da leitura, a descoberta de um mundo paralelo sedutor e apaixonante; e segundo, o de alertar aqueles que foram tocados pela sedução da escrita de que a arte é, sobretudo, o exercício de paixão e do suor”, contou Otávio Cabral.

Va lá:
Para além da leitura será lançada nesta terça-feira (11), no Maikai (Stella Maris), às 19h30.